Início » Salar de Uyuni na Bolivia: O que você precisa saber!

Salar de Uyuni na Bolivia: O que você precisa saber!

por Natália Santiago

O maior deserto de sal do mundo fica na Bolívia. É o Salar de Uyuni. É um dos principais destinos de mochileiros na América do Sul, e fica pertinho do Brasil. O Salar é tão grande que é usado para orientação pela agencias espaciais. O tamanho e a beleza desse lugar é indescritível e rende uma experiência incrível. Só indo pra comprovar o que eu disse, e não acho que você vá se arrepender!

É claro que esse destino não é para quem procura conforto e luxo, pois as instalações na Bolivia são bem básicas. Mas que não impedem uma experiência incrível. O preços dos passeios são bem acessíveis e incluem refeição e hospedagem.Vou dar detalhes de empresas que eu indico, que eu fui e amigos também.

Aqui nesse post vou te ajudar com tudo que você precisa para conhecer esse destino mais que incrível. Era um dos meus lugares dos sonhos pra conhecer, e realizei!!

Quando ir

Existem praticamente duas temporadas, a de chuva (Novembro à Abril) e a de seca (Maio a Outubro). Na época de chuva se forma o espelho de água que gera fotos LINDAS! Infelizmente não fui nessa época, quem sabe ainda volto pra pegar essa experiência. Mas também o passeio é reduzido porque tem partes alagadas em que não é possível ir. Fui em Junho de 2019, época de seca, porque também combinei com trilhas no Peru, e não queria que a chuva atrapalhasse meus planos, rs.

Existem várias maneiras de se conhecer o Salar. Vou explicar direitinho como é cada uma delas. Aí é melhor pra você escolher como adequar ao seu roteiro.

Chegando pela Bolívia

O Salar fica próximo à cidade de Uyuni (que dá nome ao Salar), que serve de base para conhecer o Salar. É possível chegar nessa cidade de ônibus vindo de outras cidades da Bolívia, como Santa Cruz de la Sierra, La Paz e Sucre (a mais perto). Para essas três cidades existe avião do Brasil, então pode ser consideradas portas de entrada para o Salar. Indico Santa Cruz ou La Paz pelo preços dos vôos serem mais acessíveis. A viagem de ônibus até o Uyuni é tranquila, os ônibus são confortáveis, e fiz pela empresa Panasur mas vi outras também boas. Comprei o ticket na hora, e por ter sido feriado, o preço tava o dobro! Pra ter uma ideia de preços pode ser usar a ticketsbolivia.

Assim que você chega na cidade de Uyuni, sugiro chegar bem cedo pela manhã, as agências já te abordam para fechar os passeios. Mas não indico fechar logo ali não, as melhores agências abrem lá pelas 8h da manhã e dá tempo suficiente para fechar com calma os passeios. Só indico chegar cedo, pra caso aconteça algum atraso na rota. Chegando cedo dá tempo de tomar um café e depois se dirigir para as agências. Os passeios saem todos os dias por volta das 10h. Nós fomos em todas agências pesquisando preço, e escolhemos ir com a numero 1 do tripAdvisor (preço: 950BOL). Estava eu e a Santana (uma holandesa que conheci em La Paz) e duas amigas dela. Elas tiveram uma péssima experiência (de quase capotar o carro) com uma agência não confiável e quiseram fazer de novo o passeio com a gente.

São basicamente dois tipos de passeios saindo diariamente, e não vi necessidade de reservar antes não. Estava BEM mais caro pelos sites, não sei porquê! Explico aqui os dois principais tipos.

Passeio de 3 dias pelo salar – 2 noites

Foi o passeio que fizemos, é o mais clássico. Na época de seca, que é quando fomos, o passeio tende a ser mais longo, por ser possível ir em mais lugares que não estão alagados. O valor do passeio varia se você volta para Uyuni ou se atravessa para o Chile (que foi o que eu fiz e é mais caro – vaaai entender). Basicamente na tarde do último dia é a volta para Uyuni ou então travessia para o Atacama no Chile. Outra coisa importante é: garanta seu saco de dormir, ainda mais se estiver indo no inverno que nem eu. Normalmente as agências alugam ou já está incluído, só faça as contas na hora de comprar e não deixe de levar um. Se já tiver o seu, ótimo.

Indico comprar água (muito importante para a altitude), papel higiênico e snacks em Uyuni (eu comprei em La Paz, que era mais barato mas foi mais peso pra carregar haha) para a viagem. Um baralho também não mata ninguém né?

Primeiro dia

O cemitério de trens é a primeira parada, junto a um povoado para comprar sal e lembrancinhas (pesquise o preço entre as barracas e tente negociar!). Depois é partir pro Salar pra tirar as fotos e curtir o visual. O almoço é servido em um “restaurante” de sal, com banheiro a disposição. O guia nos serve a comida, comemos em grupo e depois ainda dá pra descansar. 

Basicamente, apenas o primeiro dia é o Salar, mas dá tempo de sobra pra tirar as fotos em perspectivas, visitar a ilha Inkawasi (casa dos Incas na língua quechua), e ainda ganhar um por-do-sol no meio do deserto de sal. O guia escolhe um local estratégico, pegamos nossos vinhos e assistimos a um espetáculo incrível.  Ao final, a gente dorme num hotel simples feito sal, e nos é servida a janta. Todas as alimentações já estão incluídas e são uma delícia. Aqui tem disponível banho quente por um valor extra. Ninguém do grupo se aventurou, tava muito frio, não dava, lenços umedecidos foram suficientes! haha

Esse dia foi o que mais me marcou, por coincidência aquela noite era o solstício de inverno, e resolvemos observar o céu, aproveitar aquele lindo céu estrelado sem interferência nenhuma de luzes da cidade. Que céu. E um dos guias começou a nos dar uma aula de astronomia que nunca imaginei fazer parte. Planetas, constelações, a via-láctea, e a gente só esperando a lua nascer para terminar o espetáculo. Um frio, que congelo só de imaginar. Mas valeu a pena cada minuto. E ainda para nos presentear, o sol nasceria ainda mais forte naquela manhã, afinal, era o solstício de inverno, os dias só iriam ficar mais longos a partir dali.

Segundo dia

O segundo dia foi cheio de aventuras pelos desertos da Bolívia, aqui já mais parecido com o que a gente está acostumado, lagunas com flamingos e paisagens de tirar o fôlego. Além do almoço com uma vista incrível – um pic nic (nessa hora perdi meu gorro – perdi tantos nessa viagem que já perdi a conta haha).

Paisagens pelo segundo dia de passeio
Mais uma paisagem incrível da Bolívia

A segunda noite jantamos e dormimos em outro hotel. Dessa vez não de sal, porém MUITO frio, arisco a dizer que a pior noite. Muito frio, muita altitude (estávamos a 4000m de altitude) e muita falta de ar. Acordei várias vezes no meio da noite, não estava acostumada a dormir em saco de dormir com 4 cobertores e ainda sentir frio haha.

Mas no final ? Valeu o perrengue. Faria de novo.

Terceiro dia

Na manhã do dia seguinte – nosso último dia – acordamos muito cedo (tipo 4am) pois o primeiro passeio era ir no geiser Sol de la Mañana, e por alguma razão os passeios de géiseres são todos MUITO cedo. Pensa num frio. Mas até que passar a mão nos géiseres aquecia haha. Parecia cena de filme, me senti em algum outro planeta. Paisagens incríveis. Nesse momento, o pneu do nosso 4×4 estava furado, mas aí que se vê a importância de uma empresa confiável. Tinham alguns guias da mesma empresa, trocaram o pneu numa facilidade que fiquei impressionada. Enquanto isso, curtíamos os géiseres.

Geiser Sol de la Mañana

Dalí fomos nas águas termais que tinha ali próximo, mas claro que não me aventurei a entrar. Quando se está dentro é ótimo, e depois, e o frio pra sair ? Muito obrigada. As meninas se aventuraram a molhar as pernas. Tava bem agradável. O valor para entrar na terma não está incluído no pacote (não lembro o valor), mas os preços na Bolívia costumam ser bem acessíveis. Depois fomos na Laguna Verde, se não me engano, e ali já estava em clima de despedida. Tiramos nossa foto com a bandeira da Bolívia, óbvio que não poderia faltar. E eu me despediria do meu grupo, e partiria pro meu último destino dessa trip, o Chile, e eles voltariam para Uyuni.

Nosso grupo em clima de despedida

Atravessando pro Chile

Logo na divisa com o Chile, outra vantagem da nossa agência (sério, muito amor!), entreguei meu passaporte ao guia, e 10 bolivianos (se não me engano) e ele fez todo o processo de saída da Bolívia para mim. Tava um fila grandinha. Ali mesmo já peguei o ônibus para São Pedro do Atacama. E não é que encontrei nesse ônibus um espanhol que fez a estrada de la muerte com a gente em La Paz? Já era uma companhia para a imigração.

Aliás, a imigração no Chile foi chatinha mas organizada. Reviraram meu mochilão todo, viram os remédios (tinha as receitas mas nem precisou), lembrancinhas (fiquei com medo de pegarem meu sal que comprei no Peru) e o principal é não levar semestes, plantas, e afins, o motorista te ajuda no processo. Meio dia já estava em São Pedro, já meu grupo, devem ter chegado por volta das 19h em Uyuni.

Como já disse, esse é o roteiro na época de seca. Na época de chuva, o passeio muda um pouco devido às áreas alagadas, porém não sei dizer com precisão. O blog a pé no mundo foi nessa época e tem um post sobre.

Passeio de 1 dia

O passeio de 1 dia inclui visitar apenas o Salar e o cemitério de trens. É apenas o primeiro dia do passeio de 3 dias. É legal para quem quer conhecer apenas o Salar. Eu sempre quis a experiência completa da travessia, por isso não estavam nos meus planos. Mas outra opção é fazer o passeio de 1 dia, e no final desse dia, pegar um ônibus direto para São Pedro do Atacama. Um amigo que conheci em Cusco fez essa opção, e saiu mais barato. E nas coincidências de encontros, faríamos o tour astronômico no Atacama juntos! Mais sobre o Atacama conto em outro post.

Indo por São Pedro do Atacama

Tanto é possível chegar no Salar de Uyuni pela Bolívia quanto pelo Chile. Mas o Salar fica na Bolívia, e as empresas que operam no tour são bolivianas. Por essa razão os preços são mais acessíveis indo pela Bolívia, já que as empresas chilenas tem que receber uma comissão em cima do serviço, né ? Digamos que essa foi uma das razões pra eu ter escolhido começar minha viagem pelo Peru e terminar no Chile. Porém se você está só indo para São Pedro do Atacama, eu aconselho, e muito, incluir o Salar de Uyuni no seu roteiro. Eles também tem opções mais longas e mais curtas, na época não cheguei a olhar.

Mas é isso, espero que tenham curtido e qualquer dúvida ou sugestão comentem aqui embaixo! Obrigada!

Gosta de trilha e aventura? Então não pode perder Huaraz no Peru! Combinei esses e outros destinos na minha viagem pela América do Sul.

Salve esse post no seu Pinterest!

You may also like

2 Comentários

Fabiano March 9, 2021 - 5:24 pm

Fiz o contrário de você. Só 1 dia de San Pedro, conheci 3 lagunas,Blanca,Verde e Rocha,o Geisel ao meio dia,deserto de Dalí e não me lembro mais o que.Odiei o desconforto, só valeu pois era a última vez que entrava em Bolívia, lugar que quase deixei a vida em 2013,por total falta de infraestrutura.

Responder
Natália Santiago May 4, 2021 - 7:13 pm

Realmente lá nao tem muita estrutura, eu também tive um problema com a comida, e tive que entrar em antibiotico..:( Mas que bom que superou !

Responder

Deixe seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More